Por que o Botijão de Gás Congela? Saiba o que fazer! | Copagaz
Blog Copagaz
24 de novembro de 2021
Comentários (0)

Por que o Botijão de Gás Congela? Saiba o que fazer!

porque o gás congela no botijão

Índice:


Independentemente do tipo de botijão de gás usado na sua casa ou estabelecimento, você já deve ter se deparado com a seguinte situação: ao verificar o utensílio, repara que ele está frio, como se estivesse transpirando, e por vezes apresenta até uma camada de gelo. Como resultado, muitas vezes o sistema congela e podem ocorrer complicações no fornecimento do GLP.

Mas por que esse processo acontece? E como fazer quando o botijão começa a “suar”? 

Por que o gás congela no botijão?

O congelamento do gás pode acontecer por dois motivos principais. 

1- Grande vazamento

Quando uma tubulação se rompe ou por outras razões, pode haver um vazamento de gás significativo. Nesse caso, uma grande quantidade de gás passa de um ambiente de alta pressão para um ambiente de baixa pressão, gerando um processo de expansão e uma reação chamada de endotérmica, que provoca o congelamento do material

2- Consumo maior que a capacidade do botijão

Todo botijão ou cilindro de gás tem uma capacidade de vaporização, ou seja, o quanto consegue fornecer para o sistema (em kg de gás por hora). Quando o consumo ultrapassa esse valor, o processo de despressurização do GLP passa a exigir mais calor do que o botijão consegue trocar com o ambiente.

Como resultado, a superfície do botijão esfria e dá a impressão de que está suando. Caso o consumo elevado continue, pode haver a formação de gelo, interrompendo o fornecimento de gás para a residência ou estabelecimento.

Botijão de gás suando: O que fazer?

Colocar o botijão em uma bacia com água para que ele pare de congelar e a energia volte a ser fornecida é mito. O equipamento pode até aumentar sua temperatura, mas se o consumo de gás for maior que sua capacidade de vaporização, o processo se repetirá. Por isso, o ideal é seguir algumas dicas básicas:

  • O primeiro passo é fechar todos os registros (do fogão, do forno etc.) e aguardar o descongelamento natural do botijão;
  • Se o motivo da transpiração for algum tipo de vazamento, o ideal é levar o botijão a uma área aberta e ventilada, evitar produzir faíscas a menos de 3 metros de distância do equipamento e chamar a assistência técnica;
  • Já se a razão do congelamento for o subdimensionamento do GLP (ou seja, a demanda é maior que a capacidade de vazão), vale a pena considerar a substituição do regulador de pressão, o acréscimo de mais equipamentos ao sistema ou a troca por outro botijão;
  • Para a troca, verifique quantos equipamentos você tem, qual a vazão necessária para que funcionem (geralmente, esse número é fornecido na etiqueta) e some os números, chegando em quanto de gás precisa (em kg/h). Mas lembre-se: a demanda não será tão grande se os eletrodomésticos não forem usados simultaneamente, como o que ocorre em restaurantes;
  • Caso esteja usando botijão de 5 kg, considere trocar pelo de 8 kg ou 13 kg. Já se for o maior botijão disponível, considere trocar pelo cilindro de 45 kg, por exemplo. 

Veja os tamanhos de botijões disponíveis no mercado: